Publicidade

Distrito Industrial de Silvânia receberá 19 empresas

Foto1 d1 1No total foram 72 lotes vendidos; Empreendimentos movimentarão setor de construção civil e abrirão 216 vagas de trabalho

No dia 18 de dezembro de 2019, aconteceu a Concorrência Pública para definir as novas empresas que serão instaladas no Distrito Industrial de Silvânia. Nesta data, o Departamento de Compras e Licitações realizou a abertura dos envelopes no gabinete da Prefeitura de Matão.

Desta forma, mais 11 terrenos foram comprados por cinco empresas de diferentes ramos. Lembrando que nos dias 9 de outubro e 13 de novembro do ano passado já haviam acontecido aberturas dos envelopes, as quais totalizaram 61 lotes adquiridos por 14 empresas somando os dois processos. Os empreendimentos estão animando o setor de construção civil e abrirão novas vagas no mercado de trabalho.

Empresas de médio e grande portes serão instaladas no local. Dentre as 19 que serão instaladas estão: Orivaldo Montor – ME; Israel Henrique da Silva; Polymers High Performace Indústria de Revestimento Termoplástico LTDA; Redentor Rebarbação, Usinagem e Fundição LTDA; Rhaifel Montagens Industriais LTDA; Sofer Cotton Máquinas e Equipamentos LTDA; Terravam Construtora LTDA; AKI Eletro Importadora e Exportadora EIRELI; Barros Indústria de Rotomoldagem EIRELI; C.M.P Usinagem e Indústria LTDA; Damazio & Mancini Manipulação de Pães Caseiros LTDA; Fafer Sucatas Matão LTDA; Marco Pereira da Sailva ME; Serralheria Imperador de Matão LTDA; Edson Augusto Quinaia; Farmácia Mello & Cicogna LTDA – ME; J.P Peças de Reposição Agrícola e Serviços LTDA – ME; Paulo César Zanardi – ME; e Salton Manutenção Industrial EIRELI – ME.

O prefeito Edinardo Esquetini explica que o Distrito Industrial de Silvânia movimentará a área da construção civil e, posteriormente, com sua cadeia produtiva normal “Sabemos que o local se tonará uma fonte de geração de emprego e de movimento constante da economia local com esta liberação para a instalação das empresas. Então, estamos cumprindo uma promessa com o propósito de gerar emprego para população. Além disso, é uma grande oportunidade para o empresário que comprará um terreno que já está com toda infraestrutura pronta, sendo guias, sarjetas, água e esgoto, energia e o mais importante para o empresário: licenciado pela Cetesb. A pessoa pode comprar dois, três, quatro, cinco ou mais lotes com o pagamento de 10% do valor, lógico que a licitação abre a possibilidade dos lances, ou seja, alguém dá 10% ou 12%, vai outro e dá 15% ou 20%, então quem dá mais pela área fica com o terreno”, completa.

Totalizando 72 lotes vendidos, gerando 216 empregos, a infraestrutura do Distrito está pronta, permitindo a instalação imediata das empresas, desde que os projetos de construção sejam aprovados pelo órgão responsável. No início deste processo, foram disponibilizados 131 terrenos de 1000 m² até 1800 m² para o empresário pagar 10% do valor. Agora, resta apenas 59 lotes. Sendo assim, uma nova Concorrência Pública acontecerá no dia 6 de fevereiro, às 8h30, para os empresários que estiverem interessados em adquirir lotes.

Lembrando que as antigas concessões foram revogadas. Portanto, as empresas interessadas devem participar da licitação para poder adquirir os terrenos. É importante observar quais os tipos de atividades que podem ser realizadas (Cetesb). As empresas terão o prazo de seis meses para fazer o projeto, aprová-lo e iniciar as obras. Já a finalização deve ocorrer no máximo de 360 dias, caso não seja cumprida, a Prefeitura de Matão poderá retomar essas áreas para concessão a uma nova empresa.

Hudson Martins, secretário de Planejamento e Desenvolvimento Econômico, destaca que este é um processo de crescimento da cidade. “Ou seja, esta é uma oportunidade importante para os empresários porque será um investimento de baixo custo e que, após a instalação das empresas, empregos serão gerados de forma direta, além dos empregos indiretos durante o processo de construção e de elaboração dos projetos. Por isso, abriremos mais uma vez esta possibilidade aos empresários que desejam comprar um lote, porque queremos gerar emprego e renda por meio do Distrito Industrial de Silvânia”, diz.

Vale destacar que, após 14 anos do protocolo feito junto à Cetesb, a atual gestão resolveu as pendências que existiam desde 2003. Ao longo de 2017, aconteceu um amplo trabalho de adequação do distrito e a liberação foi amparada pelos trâmites legais, que ainda incluiu a licença de operação publicada pela Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (Cetesb). Dentre os ajustes realizados estão a recuperação das galerias de águas pluviais, pavimentação, interligação da rede de esgoto, construção das calçadas ecológicas e adequações na área verde, instalação da bomba d’água, outorga do poço, plantio de árvores e outras questões ambientais.

Foto2 d2

Pesquise no Site

Publicidade